MPU: Sindicato requer isonomia nas bolsas de pós-graduação

O Sinasempu requereu à Administração do MPU revisão do tratamento dispensado aos servidores de nível médio para concessão de bolsas no Programa de Pós-Graduação. O resultado preliminar apontou que das 30 bolsas oferecidas, apenas 14 foram inicialmente providas. Para os analistas processuais, em que foram reservadas 18 bolsas, apenas 5 foram contempladas, e destas, três são servidores que já possuem especialização.

A despeito de que a administração queira priorizar determinados cargos em que a formação em nível de pós-graduação seja mais interessante, o simples fato de proibir o acesso a servidores de nível médio mostra-se equivocada. Dentro de um programa cujo orçamento já é sabidamente limitado, “dar-se ao luxo” de devolver mais de metade do orçamento prejudica até mesmo o futuro da rubrica. Isto sem querer entrar no mérito do que seria mais benéfico, para a própria instituição, em preterir toda uma classe de servidores a quem a formação em nível de pós graduação seria mais onerosa.

Infelizmente, a administração do MPU lembra da qualificação dos Técnicos apenas quando é para suprir a falta de analistas, ou utilizá-los como servidores mais baratos, quando deveria pensar que a qualificação serviria como um incentivo a permanecer no órgão e diminuir a rotatividade, após tantos anos sem reajuste. Até mesmo porque muitos não conseguiriam devolver o valor da bolsa.

MPU: Licença para a capacitação

A Licença para Capacitação veio em substituição ao direito anteriormente conhecido como “licença-prêmio”, que consistia num afastamento do servidor por três meses a cada cinco anos de exercício no serviço público federal. Entretanto, diferente daquele direito, a este há uma série de restrições e limitações. Continue reading “MPU: Licença para a capacitação” »

MPU: Programa de Pós Graduação – Correção :(

Prezados,

Ontem, infelizmente, recebi uma mensagem de que o programa de pós graduação não teria vagas para técnicos administrativos, exceto aqueles que exercem função comissionada de nível CC-4 ou superior (que fora de Brasília tem uma por Estado, e olhe lá).

Infelizmente, sequer o edital era claro quanto a isto, recebi o email abaixo, então compartilho com vocês. Infelizmente, parece que a administração entende que a capacitação de técnicos não é importante. Depois ainda me perguntam porque o MPU é um lugar ruim de trabalhar. Creio que os colegas do Trombetas do Jericó têm uma excelente resposta.

Continue reading “MPU: Programa de Pós Graduação – Correção :(” »

MPF: abertas inscrições para programa de Pós-Graduação

Os servidores do MPF que desejarem realizar um curso de especialização, mestrado ou doutorado poderão contar com uma bolsa para auxiliar nas despesas de matrícula e mensalidades de cursos nestas áreas.

O edital prevê 40 bolsas, na modalidade “turma aberta”, em que o servidor indica o curso e a instituição de ensino. Para participar, o servidor deve ter sido aprovado em estágio probatório (ou manter vínculo com o MPU), ou estar investido em função de confiança ou cargo em comissão há pelo menos dois anos.

Os valores da bolsa são de até 80% do valor de matrícula + mensalidades, limitados ao teto de R$ 9.000,00 (nove mil reais).

As inscrições podem ser realizadas até o dia 03 de julho.

Material relacionado:

Para outras informações, dentro da intranet da PGR, acessar a Secretaria de Gestão de Pessoas, na aba “Pós-Graduação”. Lá você poderá encontrar todos os editais, resultados e um manual sobre o programa.

Update: o referido programa contempla apenas analistas ou servidores que ocupam função igual ou maior à CC4, conforme post aqui.