Série sobre o Funpresp

Prezados,

Em breve o blog disponibilizará umas série de informações sobre a previdência complementar dos servidores públicos, com o objetivo de divulgar o Funpresp, entender as diferentes formas que os servidores podem participar e discutir abertamente sobre as vantagens e riscos, de forma a ajudar na escolha da melhor decisão.

Em tempos que se fala em reforma previdenciária e nas falência de alguns estados, é importante que o servidor entenda a incapacidade do Estado em garantir umas velhice digna, e quais são as alternativas para que se garanta um futuro mais tranquilo.

O simulador de salários também será corrigido para fazer a simulação corretamente. Hoje, ele não abate a contribuição da base de cálculo do imposto de renda retido na fonte, nem considera alternativas, como os participantes vinculados.

Matérias Publicadas

  1. Introdução aos Regimes Previdenciários
  2. Sobre os modelos de previdência complementar para os servidores públicos federais
  3. Simulações, cenários, incentivos fiscais – Em breve

Softwares

  • Correção na aplicação de simulador de salários – Pendente
  • Simulação de rentabilidade de planos – A construir

5 comentários sobre “Série sobre o Funpresp”

  1. Muito boa a iniciativa José!.

    Até hoje não aderi a funprespjud. Tenho algumas dúvidas, e tenho medo que a reforma atinja até esse fundo complementar. Bom, como vc mesmo mencionou, há muitas questões difíceis a serem debatidas… Questão que causa tormento é se, apensar de termos aderido a funpresp, haverá possibilidade de aumento de alíquotas decorrentes dessa futura reforma na previdência, uma vez que nós que estamos vinculados à funpresp, já teríamos resolvido a questão do déficit dos benefícios em razão dos futuros pagamentos, ou seja, já estamos pagando o preço desse rombo nas contas previdenciárias….

  2. Excelente Josè!!

    É importantissimo esta discussao e conhecimento.

    Ninguem para para pensar que daqui ha 20 anos , o RPPS nao tera nenhum deposito??? O Regime proprio esta com os dias contados ja que novos servidores obrigatoriamente vao contribuir pro funpresp… ou seja, quem vai pagar minah aposentadoria ???

    1. A pergunta é muito interessante. Um dos riscos que pretendo abordar é sobre a possibilidade de extinção do regime próprio, que resultaria na migração ao regime geral.
      Entretanto, vou resumir à resposta otimista: o governo sabe que a mudança de benefícios partilhada para poupança individual tem um custo inicial alto, que é compensado no longo prazo. Em geral, países que tiveram sucesso com a experiência (Chile talvez seja a melhor referência para nós), adotaram esta mudança quando possuíam grandes superávits nas contas públicas. Ou seja, há um certo aumento no déficit previdenciário inicial, que deverá ser coberto pro tributos, que posteriormente será significativamente minimizado, pelos próprios princípios dos planos de contribuição definida.

  3. Olá José, excelente discussão, parabéns!

    Quando o novo simulador estará no ar?

    Entrei no serviço público em 2008 e estou seriamente inclinado a sair do regime próprio. No entanto, penso em 2 possibilidades: 1) aderir ao Funpresp (restando apenas definir qual a alíquota escolher); ou 2) apenas contribuir sobre o teto e investir por conta própria o valor da diferença de contribuição.

    No segundo caso, tenho dúvidas sobre quanto $ iria sobrar para realizar esses investimentos, tendo em vista que (pelo que pude compreender) a contribuição previdenciária no funpresp é abatida da base de cálculo do IR. Então não sei se a diferença entre aderir ao funpresp ou contribuir apenas sobre o teto seria grande/vantajosa.

    Grande abraço e belo trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *