Problema Dígito Verificador – Imposto de Renda 2015

Os programas para declaração de ajuste de Imposto de Renda 2015 (ano-calendário 2014) já estão disponíveis para download no site da Receita Federal do Brasil. Uma novidade desta versão, em especial para quem deseja receber a restituição pela Caixa Econômica Federal é a forma como você deve informar o número da conta para depósito.

Anteriormente, a Receita Federal exigia apenas o número da agência e o número de conta. Agora, o processo de validação exige que você informe a operação juntamente com o número da conta, de forma que seja oferecido o número completo. Ou seja, ao invés de informar apenas os dígitos da conta, excluídos os zeros, agora é preciso informar um conjunto de 11 caracteres na conta, mais o dígito.

Exemplos:

Contas na agência 1234

Conta corrente (operação 001): 12345-6

Poupança (operação 013): 23456-7

No caso, as contas tem 5 dígitos mais o verificador. As contas completas da caixa possuem 8 dígitos, ou seja, respectivamente 00012345-6 e 00023456-7. Juntando a operação, você declararia estas contas assim:

Banco: Caixa Econômica Federal (104)

Agência: 1234

Exemplo 1:

Conta: 00100012345 DV 6

Exemplo 2:

Conta: 01300023456 DV 7

Após informar os números corretamente, não deve aparecer qualquer aviso (triângulo amarelo) ao lado do dígito verificador.

Banco do Brasil

Fiz uns testes nas contas do Banco do Brasil e aquelas contas que possuem o Dígito “X” eventualmente apresentam algum problema, embora possa ser informado e corretamente validado. Neste caso, o ideal é entrar em contato com a Receita Federal ou, por própria conta e risco, informar outros números de dígitos verificadores de zero até 9.

Contas que Possuem 2 (dois) dígitos

Neste caso, o campo DV comporta apenas um dígito. Informe o dígito verificador da esquerda na conta.

Exemplo: conta número 1234-56, informe 12345 e preencha DV com 6.

Java “Legado” – Mac OS X Yosemite

Algumas aplicações que dependem de versões mais antigas do Java apresentam problema e requerem uma versão “legada” do Java, quando executadas num ambiente com a mais recente versão do Mac OS X, a Yosemite.

Para solucionar o problema, é preciso instalar uma versão do Java da própria Apple. Para baixar este instalador, basta clicar aqui.

Fonte: http://appleseeddownload.apple.com/macosx/YosemiteBetaAccessUtility/031-08652-A/YosemiteBetaAccessUtility.dmg?rid=BLK_LQp9kQXbarNONgeftA

Como Habilitar Disco Externo NTFS no Mac OS X Yosemite

Usuários do Mac OS X, especialmente na última versão, o Yosemite, podem já ter tido problemas ao conectar uma unidade de disco externo e não conseguir gravar ou efetuar alterações nos arquivos neste disco. Isto se deve ao fato de que esta versão do sistema não possui suporte nativo a gravação de arquivos no formato NTFS, aquele que é adotado como padrão no Windows, de maneira que é possível apenas fazer a leitura dos arquivos que lá estão salvos, como se fosse um CD-ROM.

Felizmente, o software livre também pode ajudar neste caso, e habilitar o suporte à gravação no NTFS, de forma que poderá compartilhar o seu HD Externo para sistemas Windows e Mac OS sem problemas (nem vou falar do Linux, porque este naturalmente já suporta ler e escrever em “tudo”, não é mesmo?).

Será necessário baixar três aplicações (clique nos nomes para os links de download):

1) OSXFuse

2) NTFS-3G

3) Fuse-Wait

Após baixar os pacotes, instale-os nesta ordem. Caso seja solicitado o reinício do sistema, não clique no botão para reiniciá-lo, apenas feche o instalador. Apenas após a instalação dos três aplicativos, aí sim, reinicie o sistema e verifique seu disco rígido NTFS: ele aparecerá disponível e você poderá fazer operações de leitura, escrita, alteração e exclusão de arquivos.

Na dúvida, veja abaixo o ótimo vídeo que ilustra a instalação das aplicações, produzido por Sri Marsha Chilakapati:

SCTV: Saiba como acionar o juizado especial (atualizado)

Considerando o grande e crescente número de reclamações referentes à qualidade do serviço prestada pela SuperCabo TV – SCTV na cidade de Viçosa/MG, resolvi elaborar um pequeno tutorial de como acioná-la judicialmente, através do Juizado Especial, por meio da ação conhecida como Procedimento Especial do Juizado Especial Cível.

Este é um tipo de ação que independe da assessoria de um advogado, e costuma ter tramitação relativamente bastante rápida, frente a processos comuns. Também não há custas processuais pela entrada no processo, desde que seja de boa-fé. Mesmo que eventualmente você perca a ação, não arcaria com custas judiciais. É vantajoso em relação ao PROCON porque este só pode agir coletivamente, ou seja, não é competência daquele órgão determinar e executar indenizações ou devoluções de recursos indevidos.

Os Juizados Especiais Cíveis estão regulamentados na Lei nº 9.09/95. É importante conhecê-la para entender o funcionamento de um Procedimento Especial do Juizado. Abaixo, serão descritos, em tópicos, as fases do processo. Continue reading “SCTV: Saiba como acionar o juizado especial (atualizado)” »

Conheça a Casa do Código e ganhe descontos!

A Casa do Código é uma editora que publica materiais na área de Tecnologia de Informação a preço justo e com material de grande qualidade, nas mais diversas áreas, especialmente em novidades. Entre outros, abordam noidades como Node.js, Ruby on Rails, Play, Java 8, desenvolvimento mobile (Android e IOS) e HTML 5.

Os livros podem ser adquiridos no formato ebook (PDF, mobi e epub), impresso ou pacote dos dois, a preços bastante interessantes. A maioria das publicações custa, respectivamente, R$ 29,00; R$ 59,00; e R$ 69,00. Não há qualquer restrição aos documentos, diferentemente do que outras editoras fazem por aí.

Além disto, quem quiser, já pode começar com um descontão na loja, de 10% em qualquer livro. Para isto, basta usar o código abaixo:

PARCEIRO-8adfft5c

Casa do Código. Fonte: Print screen da página inicial do site.
Casa do Código.
Fonte: Print screen da página inicial do site.

Não perca tempo e acesse já: http://www.casadocodigo.com.br/

Uma editora de livros técnicos feita por desenvolvedores para desenvolvedores. 

Receita Federal lança aplicação para “rascunhar” Declaração de 2015

A Receita Federal do Brasil lançou no último dia 03 de novembro a aplicação “Rascunho da Declaração de IRPF 2015”. Esta app é facultativa, e permite ao contribuinte ir registrando ao longo do ano os fatos que causem impacto na sua declaração, como o recebimento de rendas, pagamento de despesas dedutíveis, doações etc.

Visual da Aplicação Rascunho. Fonte: Portal G1 – Disponível em http://s2.glbimg.com/LXnesCyYTZAE8Ok2njc8obSP14w=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/11/03/rascunho-irpf.jpg

O aplicativo pode ser visualizado através da internet, neste link, e ainda tem versões para smartphones e tablets que rodem Android ou iOS.

O registro de rascunho não significa que o contribuinte tenha feito a declaração. Já fiz um rápido teste e uma das críticas que tenho ao app é não informar como será feita a exportação dos dados, pelo menos na versão web. Não me pareceu, numa rápida olhada, ser possível importar dados da declaração de 2014, de forma que a principal funcionalidade, a princípio, parece ser mesmo o registro fácil de pequenas despesas que acabamos nos esquecendo de separar os recibos no dia-a-dia, e são feitos de forma bastante corrida quando do momento de preencher a declaração.

Disponibilizado código-fonte de DOS e Word

O Computer History Museum (Museu da História da Computação) conseguiu nesta semana um acordo com a Microsoft para a liberação do código fonte do Sistema Operacional MS DOS e também do Word for Windows versão 1.1. Este museu é conhecido por ter como objetivo preservar a história dos softwares, notadamente aqueles usados no início da computação, em que a liberação do código fonte, como no caso, não interfere nos interesses comerciais, entretanto podem atender à finalidade educacional. Por mais que o software possa estar defasado, o simples acesso ao código e ver materializada a teoria que se vê em sala de aula pode ajudar estudantes de TI a desenvolverem soltares melhores.

Softwares MS DOS e Word
Caixinhas do MS DOS e Word for Windows – Fonte: Site da Revista Info

Para o MS DOS, estão disponibilidades as versões 1.1 e 2.0. Originalmente, era conhecido como QDOS (Quick and Dirt Operating System, ou Sistema Operacional Rápido e Sujo), e foi desenvolvido por Tim Patterson, funcionário da Seattle Computer Products. Paul Allen, que fundou a Microsoft juntamente com Bill Gates, conhecia Tim, e graças a um engenhoso acordo financeiro, a Microsoft passou a fornecer o então rebatizado PC-DOS para os computadores IBM, bem como rebatizou para MS DOS a versão para outros computadores pessoais. Dizem que enquanto a Microsoft começou aí seu caminho para a fortuna, a empresa que desenvolveu recebeu apenas 50 mil dólares (eu programo, tu programas, ele programa, nós programamos, vós programais e eles vendem e ficam com o dinheiro). Chama a atenção o fato de que o sistema operacional inteiro na sua primeira versão ocupa menos de 1 Megabyte, menor do que muitas aplicações relativamente simples para celulares.

Já no caso do Word for Windows a versão é a 1.1a, que ficou relativamente famosa por ter conseguido superar o Word Perfect, até então a plataforma dominante em editores de texto (e até hoje disponível).

Erro ao gravar declaração de imposto de renda no Mac? Saiba como resolver!

A partir de amanhã, 06 de março, até o dia 30 de abril, estará aberto o prazo para a entrega de declaração de ajuste anual com o Leão, referente ao famoso Imposto de Renda. Atualmente, a Receita disponibiliza os programas nesta página. Há versões para diversos sistemas operacionais: Windows, Mac OS, Linux, Ubuntu e uma para máquinas virtuais Java.

Erro quando se tenta salvar o arquivo do imposto de renda.

Ocorre que em alguns sistemas, devido às maiores restrições de segurança, podem ocorrer eventuais falhas. Esta dica é válida para os usuários do Mac OS (máquinas da Apple): antes de gravar sua declaração, lembre-se de reparar as permissões em disco. Para isto, é simples: vá em Utilitário de Disco, selecione a unidade em que estão armazenados seus programas (geralmente é única), e clique no botão Reparar Permissões do Disco. Com este simples procedimento, você está autorizando o programa da Receita, que é baseado em Java, a poder escrever arquivos no seu disco local, e com isto poderá salvar a declaração sem maiores problemas. Lembrando que esta dica só é necessária caso você veja a mensagem descrita na imagem acima. 

Captura de Tela 2014-03-05 às 21.03.11

Caso o erro ainda persista, o jeito pode ser apelar para a “força bruta”, atribuindo permissões diretamente à pasta onde fica instalada a aplicação da Receita. Neste caso, abra o terminal e digite o seguinte comando:

chmod 755 ~/Documents
find ~/Documents/ProgramasRFB -type d | xargs chmod 755
find ~/Documents/ProgramasRFB -type f | xargs chmod 644

Onde estudar TI? Promoção Packt Publishing Bonanza

A Packt Publishing, empresa especializada em publicação de livros e ebooks na área de tecnologia da informação, está com uma promoção imperdível até o próximo dia 3 de janeiro: TODOS, sim, TODOS os seus ebooks por preço fixo de 5 dólares, inclusive lançamentos e mais vendidos.

Para acessar o site da promoção, vá no seguinte endereço:

http://www.packtpub.com/ebookbonanza?utm_medium=email&utm_campaign=Ebonanza+Deal+batch+8&utm_content=Ebonanza+Deal+batch+8+CID_3ec11f8abffac84cef5a074d6d7c9011&utm_source=Campaign%20Monitor

Promoção Bonanza Packt Publising
Promoção Bonanza Packt Publising

Infelizmente, nem tudo é perfeito. A maioria dos ebooks está em inglês, mas também abrangem áreas de conhecimento em que muitas vezes não existe nenhum título nacional equivalente. O bacana é que os livros são livres de DRM, que é um problema muito sério em certas editoras, como a Saraiva, por exemplo, em que pelo simples fato de já ter acessado o mesmo ebook por um certo número de dispositivos diferentes, não consigo mais acesso a determinado livro no meu computador mais atualizado. Embora já tenha reclamado, ainda não foi dada solução. Outras editoras até tem um DRM bastante restrito, mas permitem ferramentas com as quais é possível desabilitar máquinas já antigas.

Alguns títulos são muito bons, há um universo gigantesco de cookbooks (receitas de bolo), livros de diversos assuntos voltados tanto para usuários iniciantes como experientes. São quase 2.000 títulos. Apenas na categoria de desenvolvimento de jogos, por exemplo, há mais de uma centena de títulos disponíveis!

As compras podem ser feitas através de cartão de crédito internacional ou via paypal.

Motorola abre código de smartphone Moto G

A Motorola anunciou nesta segunda-feira que o código do seu smartphone Moto G passou a ter o código aberto, com página disponibilizada no portal SourceForge (clique para acessar).

Moto G - Divulgação Motorola
Moto G – Divulgação Motorola

O aparelho, que já chamou a atenção por ter tido seu lançamento mundial anunciado no Brasil, onde é fabricado, e pela ótima relação custo x benefício (com modelos custando a partir de R$ 649,00) quer continuar chamando a atenção do mercado. A princípio, a simples disponibilização do código ao público não gera benefícios. Entretanto, permite que desenvolvedores estudem o código e possam melhorá-lo. Sem a menor dúvida, a maior vantagem é a de que se torna muito mais simples implementar futuras versões do Android, que já tem naturalmente código aberto, e reduzindo bastante o prazo de implantação e eventuais bugs que tanto prejudicam aqueles aparelhos que mesmo tendo uma configuração bastante robusta sofrem com atualizações demoradas pelos fabricantes, isto quando chegam a ocorrer.

O Moto G vem equipado com um processador Qualcomm Snapdragon 400 (quad core), tela de 4,5 polegadas com resolução de 720×1368, até 16 GB de armazenamento interno. No lançamento, utilizava a versão 4.3 do Android (Jelly Bean), mas já com prometida atualização para a 4.4 (conhecida como Kit-Kat). Há três versões, sendo que uma delas é compatível com dois chips.