MPU: Análise das decisões da AGO

O SINASEMPU publicou em sua página um pequeno resumo sobre a Proposta de Resolução nº 001 – XVII AGO. Basicamente, foram tomadas as seguintes decisões:

A Plenária da XVII AGO resolveu:

  • Que  o Sinasempu deve lutar pela aprovação do PL 2199/2011 no Congresso Nacional como único modelo remuneratório;
  • Que, no GT de carreira, sejam trabalhados os aspectos não remuneratórios da carreira dos servidores do MPU; 
  • Ratificar e reiterar a decisão proferida na plenária da XVI AGO pela retirada do PL 6697/2009. 

A AGO, ou Assembleia Geral Ordinária, é um evento que ocorre anualmente, no mês de outubro, onde são discutidos detalhes da carreira e mesmo dos rumos do sindicato. É nela que são decididas as principais diretrizes que serão buscadas em prol da categoria, embora ainda estejamos longe do diálogo necessário com a Administração do MPU e Governo que seria desejável.

Da análise desta decisão da plenária, fica bastante claro que o sindicato passa a defender o PL 2199/2011, que converteria a remuneração dos servidores para a forma de subsídio. A elaboração de uma tabela ou modelo alternativo é abandonada, em nome daquele projeto “pronto” que já temos na Câmara, fruto de uma análise bastante profunda e de um grupo de trabalho instituído pelo Secretário Geral do MPU que apontou o formato do subsídio como o ideal pela carreira. Acredito que o subsídio possa vir a encontrar alguns pontos de resistência dentro do MPU, mas são pequenos e contornáveis.

O sindicato passa, então, a preocupar-se apenas com os outros aspectos da carreira, uma vez que o 2199 representa muito bem os “anseios financeiros”. Assunto este, sempre deixado para segundo plano, deve ser muito importante, e focar em aspectos como o desenvolvimento na carreira, movimentação de servidores, programas de qualificação e outros itens que sempre foram relegados a um segundo plano. Não deixem de ler este artigo, que embora trate sobre os problemas da carreira no Tribunal Regional do Trabalho – TRT, não deixa também de representar os mesmos problemas que temos em relação à nossa carreira.

Quanto à reafirmação da vontade da categoria pelo “enterro do mamute”, o PL 6697/2009, isto já foi externado anteriormente. Entretanto, seria difícil fazer unilateralmente, sem que o Poder Judiciário fizesse o mesmo, infelizmente, pela relação umbilical que a administração do MPU enxerga nas carreiras na hora de calcular vencimento básico, mas não na de distribuir funções em quantidade e normas (FC1 a 6, onde não poderia haver servidores sem vínculo) como as daquele poder.

App do MPU ganha nova versão com novo visual

Saiu uma atualização na app do MPU. A atualização apresenta um novo visual, organiza melhor os vários assuntos bem como permite que algumas atualizações sejam mais fáceis.

Dentro das funcionalidades, a maior diferença nesta versão é que a lista das vagas por Unidade agora apresenta a lista de todo o Estado de uma vez só, como pode ser observado na imagem abaixo. Quando da conclusão do cadastramento das unidades do MPU, ficará mais fácil para que os usuários saibam quais são as unidades, endereços, e a disponibilidade de cada uma delas, se houver.

Lista de Unidades por um click
Conheça o novo visual da aplicação do MPU. Agora, todas as vagas de um estado são listadas num único clique.

Para acessar, o endereço é http://josebarbosa.com.br/mpu

TCU regulamenta progressão a cada 6 meses

Segundo notícia do Sindlegis, sindicato ligado aos servidores do Poder Legislativo, o TCU – Tribunal de Contas da União – adotará a partir de 1º de agosto de 2013 uma nova política de progressão na carreira, reduzindo o interstício para seis meses.

Desta forma, em 6  anos um servidor consegue atingir o topo da carreira, num momento de grande dificuldade de se conseguir reajustes por parte da política econômica do executivo. Um exemplo de que, com inteligência e criatividade, consegue se obter uma melhor gestão de pessoas.

Sede do TCU
Sede do TCU

 

Aplicação PCS em nova hospedagem

A simulação dos salários de servidores do MPU e Judiciário, com a implementação do PCS, através das leis 12773 e 12774 de 2012, ganha cópia na base do site josebarbosa.com.br. Por se tratar de uma hospedagem dedicada, o tempo de acesso e resposta às simulações é drasticamente reduzido, tornando mais ágil a geração da tabela e a alteração entre diversos parâmetros.

É importante lembrar que esta aplicação será remodelada, considerando a aplicação das regulamentações, bem como inclusão de funcionalidades como plano de saúde e opção pela Funpresp, além de pequenas melhorias na interface.

Para acessar a aplicação, basta clicar neste link.