Ubuntu Edge – O futuro dos smartphones top

A Canonical anunciou em 22 de julho o Ubuntu Edge, um projeto para um novo celular top de linha, cuja proposta é revolucionar o mercado, com novos conceitos como dual boot, aumento da capacidade de armazenamento e utilização de bateria de nanofios.

O projeto ainda está no papel e precisa angariar fundos da ordem de 32 milhões de dólares em 31 dias através de crowdfunding. Por 725 dólares é possível adquirir o aparelho – com previsão de entrega em maio de 2014, ou então, fazer uma contribuição menor, para ajudar a comunidade, ou maior, sendo que cotas especiais garantem alguns privilégios aos apoiadores do projeto.

Ubuntu Edge em camadas
O aparelho. Fonte: Canonical – Divulgação.

A configuração do aparelho promete ser bastante poderosa. Apenas achei que a resolução da tela fica devendo mesmo para os celulares mais caros vendidos hoje em dia:

  • Dual Boot: Ubuntu Mobile e Android
  • Integração com Ubuntu quando conectado a base
  • CPU multicore (não informada a quantidade de núcleos, provavelmente 4 ou 8)
  • 4 GB de Memória RAM (uau!)
  • 128 GB de armazenamento
  • Tela de 4,5 polegadas, com resolução de 1280 x 720
  • Câmera traseira de 8 megapixels e frontal de 2 megapixels
  • Duas frequências LTE
  • Duas frequências Wi-Fi
  • Bluetooth 4
  • NFC
  • Bateria de anodo-silício
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, barômetro e bússola

O próprio site informa que algumas especificações podem ser alteradas, logo creio que a tela certamente será uma delas para a proposta do aparelho. Creio que só a proposta de integração entre o PCS e Smartphone (uma das apostas desde a apresentação do Ubuntu mobile e a proposta de inovação já façam este projeto merecer algum crédito, e espero que o projeto dê certo, para dar uma boa mexida no mercado de smartphones.

2 comentários sobre “Ubuntu Edge – O futuro dos smartphones top”

  1. Rapaz, nem me fale. Eu to desesperado aqui porque não tenho dinheiro pra comprar. Eles abaixaram o valor, foi? Ele estava custando 830 dólares. Na verdade, teve uma promoção de um dia em que ele custou 600 e estavam reclamando que o “pulo” foi muito grande, que a arrecadação tinha diminuído. Talvez por isso.

  2. Ah, sobre a resolução, eles disseram que a proposta não era focar muito nela. Eles disseram que entendem que o mercado se tornou obcecado pela busca de uma resolução muito alta, mas que a partir de certo ponto praticamente não se nota a diferença mais. Por isso eles pretendem focar numa tela mais equilibrada, que também tenha um bom uso de cores, por exemplo. Pra mim, bastava só o Ubuntu Mobile. Todo o resto é um bônus =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *